Fórum social

Revisão da Carta Educativa - Contributos APEEAEDLV

 
LOGO ap mtl
Revisão da Carta Educativa - Contributos APEEAEDLV
by Enc. Mafalda Lourenço - Tuesday, 10 February 2015, 11:31 PM
 

Conheça AQUI (versão integral) os contributos da Associação de Pais do Agrupamento de Escolas D.Lourenço Vicente para a revisão da Carta Educativa do concelho da Lourinhã.

Destacamos as seguintes considerações:

UM NOVO MODELO PARA A EDUCAÇÃO – (RE)PENSAR A ESCOLA

"(...)Hoje estamos todos de acordo relativamente ao carácter prioritário que devemos atribuir à mudança do paradigma na educação. Educar é preparar as futuras gerações para desafios que desconhecemos e padrões de vida diferentes daqueles que vivemos. Crucial será apostar em fomentar uma inteligência emocional e criativa, promovendo uma cidadania menos dramática e mais activa, participada, responsável e equilibrada de fruição cultural. Enquanto encarregados de educação desejamos a promoção e investimento na escola pública, orientada pelos afectos e dirigida ao sucesso escolar dos nossos educandos, e satisfação das necessidades das famílias. Entendemos que o Município da Lourinhã pode e deve assumir a demanda e o pioneirismo inerente à construção de um modelo distinto, para o seu território e a sua população. A escola deve ser (re)pensada em estreita articulação com a comunidade educativa, com os demais sectores de actividade do concelho e com recurso a parcerias estabelecidas a nível local, nacional e internacional, sugerindo-se a criação de um PROJECTO EDUCATIVO LOCAL, ASSENTE EM PREMISSAS DE EXIGÊNCIA, DE INOVAÇÃO E DE AUTONOMIA, QUE APOSTE NUM CURRÍCULO LOCAL SÓLIDO E ORIENTADO PARA O SUCESSO EDUCATIVO EM CONSONÂNCIA COM A ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO DO CONCELHO.(...)"

Na nossa prespectiva, sem haver um verdadeiro  projecto educativo local, inovador e criativo, com metas e objectivos qualitativos e quantitativos bem delineados, qualquer carta educativa não passará de um documento técnico (orientador geograficamente), mas sem resultados substantivos para os alunos e para as famílias.

DELIMITAÇÃO DE TERRITÓRIOS EDUCATIVOS

"Tendo presente a existência e configuração geográfica atual dos dois agrupamentos de escolas existentes, e a proposta entretanto divulgada pela CML, somos maioritariamente de parecer (sem necessidade de considerandos justificativos, pois que decorrem do bom senso e de premissas de gestão eficiente, com enfoque nos interesses dos alunos e famílias-premissa que deve nortear qualquer decisão nesta área) que os dois agrupamentos deverão ser mantidos.

E que o nosso Agrupamento (AEDLV-Agrupamento de Escolas D.Lourenço Vicente: ÁREA LITORAL DO CONCELHO : freguesias de Lourinhã e Atalaia; Vimeiro; Santa Bárbara e Ribamar)  deverá manter a EB2/3 de Ribamar e receber a EB2/3 Dr. Afonso Rodrigues Pereira sita na Lourinhã, sendo absolutamente PRIORITÁRIO e URGENTE que seja objecto de uma requalificação/intervenção de melhoria, bem como ser dotada de instalações condignas para a prática de disciplina de educação física, através da requalificação do “Complexo Municipal das Piscinas da Lourinhã”

REDE ESCOLAR - REQUALIFICAÇÃO E REFORÇO DA OFERTA

Fruto do decurso do tempo, da desarticulação de construção da rede escolar projectada (em 2007), da degradação da economia, e da falhada projecção demográfica, é necessário repensar o ordenamento da rede escolar , "tal como foi configurada, sem esquecer que: a) no panorama actual é inaceitável a manifesta falta de igualdade de condições pedagógicas dos alunos (quer pela diferença de qualidade dos equipamentos quer pela existência de muitas turmas agregadas) b) a existência de oferta é apta, não só a assegurar a necessidade da população escolar existente, como também se apresenta como um instrumento aliciante e competitivo de captação de novas famílias e de alunos de localidades e concelhos limítrofes.

Dito isto e considerando que, apesar de por diversas vezes solicitado e até prometido, a Vereação da Educação da Câmara Municipal da Lourinhã, não logrou fornecer a esta Associação, os dados solicitados quanto número e distribuição da população escolar, não nos é possível aquilatar, do ponto de vista estatístico, a tendência ou configurar cenários prováveis quanto à “viabilidade” de todos os polos escolares ou soluções, nomeadamente o do Vimeiro, Seixal e Santa Bárbara, que se encontram na nossa área de actuação, e que quanto a eles nos pronunciaremos.

Ainda assim, consideramos curial a requalificação e manutenção da oferta:

1. na freguesia (histórica) do Vimeiro e em Santa Bárbara (com elevados níveis de procura) – eventualmente em local que possa servir a população residente em ambas as freguesias; através da construção de JI e EB1 (refeitório, sala polivente, salas de actividades de JI, salas de aula de 1º ciclo, em nº consentâneo com as necessidades projectadas) e que se constitua como um pólo de excelência apto a competir directamente com a escola de referência do concelho limítrofe, e a atrair e fixar populações.

2. na área Litoral Norte (preferencialmente na Praia da Areia Branca-localidade com maiores níveis de apetência e desenvolvimento), com a construção de um pólo de oferta de 1º ciclo e de educação pré-escolar, concentrando a oferta existente nas actuais EB1/JI da Praia da Areia Branca e Seixal, tendo por localidades de referência a Abelheira, Zambujeira, Serra do Calvo, Casal da Murta e Lugar da Areia Branca.8 2.1 Enquanto a implementação deste polo não esteja concluída, e com carácter transitório, a EB1/JI da Praia da Areia Branca manteria uma oferta de pré- escolar (até 3 salas de actividades), e a EB1/JI do Seixal manteria uma oferta de primeiro ciclo (até 4 salas de aulas), sendo posteriormente reconvertidas para outros usos (ATL´s; Campos de férias etc…)

ENSINO SECUNDÁRIO - DIVERSIFICAÇÃO DE OFERTAS

O "PROJECTO EDUCATIVO a erguer e implementar no concelho da Lourinhã deve atender à importância de serem considerados percursos alternativos ao ensino regular, com propostas atractivas e adequadas ao concelho, nomeadamente articuladas com o mercado de trabalho. A escolaridade obrigatória até aos 18 anos tem que ser pensada para todos os alunos e famílias e não pode assentar exclusivamente no ensino regular e no ensino técnicoprofissional."

Por fim, não é por demais sublinhar a total e permanente disponibilidade dos pais e encarregados de educação na análise das situações e na configuração das soluções a erguer. Neste sentido, importa que os pais sejam devidamente e previamente esclarecidos sobre o significado das transformações que possam resultar da revisão da carta educativa em curso, afim que, ao contrário do passado, e da expectável rejeição dos pais à nova Escola de Miragaia, possam dar o seu apoio para a sua implementação.

Em síntese, importará ter presente que os presentes contributos e/ou sugestões, radicam numa visão de escola pública inovadora, com mais autonomia, qualidade e igualdade de oportunidades, orientada para o sucesso individual dos nossos filhos(as) e para as necessidades das famílias.

Até porque…

Educação não é despesa! É investimento com retorno garantido!

P´Direcção da AP

Mafalda de Taborda Lourenço

Lourinhã, 4 de Fevereiro de 2015